Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Duas Amigas, Um Blog

Duas amigas de longa data e algumas das histórias que têm para contar. No fundo duas raparigas com uma grande capacidade para dizer parvoíces..

Duas Amigas, Um Blog

Duas amigas de longa data e algumas das histórias que têm para contar. No fundo duas raparigas com uma grande capacidade para dizer parvoíces..

Pessoas que se acham melhores que os outros...#@/§$#

Aiii, que raiva! Que vontade de a esmigalhar como a um insecto!

Hoje fui ao lar onde os meus avós estão para ir buscar o meu avô paterno e levá-lo ao dentista. Coitado ele já não anda muito bem...

Enfim, acontece que cheguei lá à hora do lanche lol e não quis interromper a merendinha deles por isso sentei-me num banco à entrada e de onde se pode ver o salão onde eles estavam na paparoca.

Estava ali um velhote sentado também, cujo nome é Joaquim, e o senhor lá esteve na conversa comigo e contou-me que não gosta das comidas porque é tudo muito refinado e ele - assim como todos os velhotes aqui da terra - não acha piada nenhuma a essas coisas, eles gostam é de sopa de batata, tomatada, feijão com couve ou nabiça, cozidos, coisas assim, que sempre comeram desde pequenos.

Ora estava o senhor na sua revolta - com toda a razão, afinal tivémos uma revolução não foi para podermos dizer o que pensamos? - e aparece uma empregada, juntou-se à conversa , tudo muito saudável e....aparece aquela c***** convencida, raios a *****!

A rapariga que apareceu - é um ou 2 anos mais velha que eu (a propósito eu e a Nocas temos 24 anos), andou num curso superior que NÃO concluiu e começou um mestrado cujas cadeiras também NÃO acabou, ou seja ela não é nada ainda, é apenas uma rapariga que teve sorte de ter aquele trabalho ali. Quem a descreve diz que ela não é assim muito trabalhadora e eu sei porque a conheci na secundária, ela não é HUMILDE.

Enfim, essa jovem apareceu porque é a assistente social do lar e começou a dizer ao senhor que se ele tem queixas da alimentação, deve dirigi-las a ela, blá, blá, blá. Mas a forma como ela falou com o senhor, como se ele fosse um pobre coitado, olhem só não lhe espetei um murro nas fronhas porque sinceramente não me ia rebaixar a isso. Eu nem lhe disse nada, fiz de conta que ela nem ali estava e quando ela se foi embora eu virei-me para o senhor e disse-lhe "ela é má, não?" e ele: "um bocado" e riu-se. Mas eu não achei graça nenhuma, apetecia-me esmagá-la!

Francamente, a tratar assim o homem! Ele que trabalhou a vida toda, que fez mais do que ela alguma fez vai fazer....hii pá eu quase fervia.

Ainda por cima toda convencida, ainda se fosse uma pessoa humilde, agora toda convencida, um dia que lá fui, aqui há uns meses para ir buscar a minha avó, estava eu num corredor à espera dela e chega a c**** convencida ao "escritório" dela - eram 5 da tarde, aquilo era para abrir às 14h, mas as empregadas dizem-me que ela nunca chega ali às horas certas e se aparece alguém que precisa falar com ela...azar! - e vira-se para as pessoas ali perto, diz "boa tarde", eu não respondi, mas os velhotes quase em coro certinho: "boa tarde doutora". Aiiii oh pá, eu queria tanto, mas tanto que ela se dirigisse a mim, porque se dirigisse eu só ia responder boa tarde porque sinceramente ela para mim não é doutora nenhuma, pois se nem tem a licenciatura!

E a querer que os velhotes a tratem por doutora como se fosse uma grande coisa, muito importante...é só porque tem os pobres velhotes ali a chamarem-lhe doutora a darem-lhe aquela sensação de poder...oh pá, eu queria, juro, que ela se dirigisse a mim e se me pedisse que lhe chamasse doutora eu ia perguntar qual o curso dela e se já tinha o diploma de licenciatura e depois dizia que era licenciada também - não que isso interesse a ninguém - e diria que num ambiente tão informal não era preciso titulos pois não..

Só não sei se ia conseguir ter a minha usual expressão inocente...

Ai pá, ainda tou a ferver, aquela convencida dum raio!!!!......  

Necas