Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Duas Amigas, Um Blog

Duas amigas de longa data e algumas das histórias que têm para contar. No fundo duas raparigas com uma grande capacidade para dizer parvoíces..

Duas Amigas, Um Blog

Duas amigas de longa data e algumas das histórias que têm para contar. No fundo duas raparigas com uma grande capacidade para dizer parvoíces..

Meio cheio :)

Por vezes sinto-me chateada porque queria ter mais dinheiro..queria andar sempre nas compras, comprar um carro e um jeep, queria viajar e só fazer coisas divertidas. Por vezes sinto-me frustrada porque queria ser mais magra,queria ser mais alta ou no minimo ter umas pernas mais compridas, queria ter um cabelo sempre perfeito, enfim queria ser mais bonita. Também há alturas em que me sinto desapontada porque queria ser mais inteligente, ter um trabalho melhor, uma carreira com mais futuro, ser reconhecida por feitos fantásticos. Há dias em que tudo corre mal só porque o Benfica perdeu o jogo do dia anterior...Depois há alturas em que me apercebo de como estas "infelicidades" são insignificantes e que apesar de não ter montes de dinheiro, não ter o corpo de uma top model, de não ter uma carreira brilhante e de o meu clube nem sempre estar no topo do futebol mundial, sou uma sortuda e tenho o que realmente faz falta.

É pena só nos aperceber-mos da sorte que temos quando a vida nos põe perante uma prova realmente importante...

Há dois anos aprendi uma lição! Achei que estava muito doente e enquanto andei a fazer exames e mais exames senti pela primeira na vida um medo real de morrer. Percebi que a minha vida afinal era fantástica e que não a queria perder de forma alguma. As gorduras, o trabalho e tudo o mais era apenas coisas insignificantes, sem importância. Quando o médico me disse que afinal tudo não tinha passado de um grande susto senti-me mais feliz do que se tivesse acertado no Euromilhões. Pensei, e ainda penso, que foi um milagre e no fim de todo aquele processo passei a encarar a vida com uma alegria renovada...a não dar tanta importância a coisas que efectivamente não a têm...

Recentemente deparei-me com uma nova prova e descobri que muito pior do que encarar a prespectiva da nossa própria morte é encarar essa possibilidade para alguém de quem gostamos muito. Mais uma vez acho que não vai passar de um susto, ou pelo menos é um problema que parece ter solução á vista...mais uma vez apercebi-me de como a vida é fantástica e de como eu tenho sorte em ter o que é mais importante e pela primeira vez em muitos dias sinto-me feliz....